Tecnologia

Hospital em Nagoya testa robô como enfermeira

“Nossos robôs não podem substituir o trabalho humano ainda”. Mas num futuro próximo teremos condições de fazer isso!

“Se você quer um cuidador para idosos, o que poderia ser melhor do que um urso robô?” Essa foi a pergunta que Toshiharu Mukai, criador do Robear, fez aos repórteres no dia da coletiva de apresentação do robozinho.

O criador explica. “O robô é forte, mas tem o toque suave”, é um robô de cuidados de enfermagem – ele tem um olhar meigo – e é forte o suficiente para levantar idosos e leva-los ao banheiro, e pode ajudar a colocar o idoso em uma cadeira de rodas.

Em uma recente visita à Universidade Meijo em Nagoya, Toshiharu Mukai, criador do robô, se esforça para melhorar as habilidades do ursinho, Robear que teve um problema com seus circuitos e não estava se movendo direito. O robô foi desenvolvido no RIKEN, um instituto de pesquisa parcialmente financiado pelo governo. Mas Mukai diz que o robô não está pronto ainda para atender essa demanda.

“É mais um robô acadêmico”, diz Mukai de sua criação, observando que Robear também tem dificuldades para se mover em pequenos apartamentos japoneses. Mukai diz que há robôs mais práticos disponíveis, como o Paro, o selo robótico em miniatura que mantém conversas básicas com idosos japoneses para afastar a demência. Depois, há o Mini Kirobo, o robô recentemente revelado pela Toyota que oscila como uma criança para fornecer companhia às legiões de mulheres japonesas sem filhos.

Mas ainda não há robô que possa fornecer apoio emocional para os idosos, ouvir suas necessidades, lavar e cuidar deles, e de outra forma tornar seus anos de crepúsculo feliz. “Nossos robôs não podem substituir o trabalho humano ainda”. Mas num futuro próximo teremos condições de fazer isso! Diz Mukai.

 

Fonte: IPC.Digital

Comentários

Melhores da Semana

Subir